Diferença entre Tender points X Trigger Points







Olá, eu sou a Dani e esse texto fala sobre Diferença entre Tender points X Trigger Points. Antes de começar a lê-lo, conheça o canal do Youtube clicando aqui!. Agora, vamos à leitura!

Conjunto De Cenas De Reabilitação Plana De Vetor. O Fisioterapeuta Da  Mulher Ajuda O Paciente Do Sexo Masculino Com Restrição De Movimento, Outro  Homem Sentado Em Cadeira De Rodas E Correndo Com 

 

Quando o se estuda dor musculoesquelética, é comum fazer-se a distinção entre os tender points da fibromialgia (FM) e os trigger points da dor miofascial (DMF).

Definem-se os pontos dolorosos da FM como áreas estabelecidas pelos critérios diagnósticos do ACR para a sensibilidade aumentada destes pacientes ser testada. Os pontos-gatilho da dor miofascial, diferentemente, seriam áreas de maior ativação muscular, com atividade elétrica detectável e que induzem a uma dor referida e estereotipada quando estimulados.

Na região cervical em pacientes com FM, é muito comum encontrar trigger points, e em áreas como os trapézios, é muito difícil separá-los dos tender points. De fato, estes pontos-gatilho em região cervical muitas vezes servem de mantenedores ou desencadeadores da dor difusa em pacientes com FM.

O grupo do Prof. Lars Arendt-Nielsen, da Suécia, vem tentando elucidar melhor esta relação, e um estudo recente (Arthritis Research & Therapy 2011, 13: R48) lança a hipótese de que os trigger points são responsáveis por parte da dor espontânea em pacientes com FM. Trinta pacientes com FM e trinta controles saudáveis foram estudados. A dor espontânea (padrão e intensidade) destes participantes foi registrada. No local da dor nos pacientes com FM, os trigger points principais de cada local foram identificados, localizados manualmente e marcados com tinta. Cada ponto marcado em um paciente com FM foi marcado também em um controle saudável. A presença destes pontos foi confirmada por atividade espontânea na EMG. Cada ponto foi estimulado com compressão manual para verificar-se o grau de dor local e referida.

Os resultados mostraram que as áreas de dor local e referida, quando se estimulava os trigger points ativos em pacientes com FM, eram maiores do que aquelas estimuladas em pontos-gatilho latentes em pessoas saudáveis. Houve uma correlação da área de dor induzida com a dor espontânea em pacientes com FM. As localidades nas quais havia pontos gatilho ativos na FM habitualmente correlacionavam-se com áreas de pontos latentes em pessoas saudáveis. Os músculos mais envolvidos foram o trapézio, o extensor dos dígitos, infraespinhoso, quadrado lombar e glúteo médio.

Os autores concluem que a dor espontânea da FM pode ser reproduzida pela estimulação dos pontos-gatilho na musculatura e que a dor da FM seria primariamente destes pontos. Estes achados ainda devem ser reproduzidos e relacionados com o processo de sensibilização do SNC (principal entendimento atual da fisiopatologia da FM). Mas desde já, estes achados somam-se a outros que ressaltam a importância doss pontos-gatilho da dor miofascial como alvo terapêutico no alívio da dor em pacientes cm FM.

Eduardo S. Paiva


  • EBOOK GRÁTIS: Fisioterapia na Artrose do Quadril

  • Dicas para Estudantes e Profissionais de Fisioterapia:
  • Ebook: Fisioterapia em Gerontologia e Geriatria: Uma Realidade Prática
  • Combo Joelho e Quadril - Cursos Online
  • Anatomia Palpatória e Técnicas de Liberação Miofascial Associadas ao Raciocínio Clínico
  • Ebook Fisioterapia em Patologias do Ombro


  • Poste um Comentário

    Nenhum comentário

    Tecnologia do Blogger.