A escoliose em termos gerais pode ser definida como qualquer curva lateral na coluna vertebral. Ela é uma alteração que resulta na deformida...

Escoliose e o tratamento com Pilates



A escoliose em termos gerais pode ser definida como qualquer curva lateral na coluna vertebral. Ela é uma alteração que resulta na deformidade desta coluna definido pela rotação, inclinação e extensão das vértebras (ossos que compõem a coluna vertebral).

Esse problema costuma ocorrer geralmente durante o período de puberdade prejudicando o crescimento do indivíduo que passa por essa fase (entre os 9 aos 18 anos).

A maioria dos afetados pela doença são meninas. Estima-se que 70% dos casos ocorrem com o sexo feminino, enquanto apenas 30% atinge o sexo masculino.

Apesar de em alguns casos o problema ocorrer sem nenhuma causa própria, fatores como a má postura e o levantamento excessivo de carga podem influenciar muito no aparecimento da Escoliose.

Essa doença gera deficiências músculo-esqueléticas e cria limitações nas atividades diárias de vida desde se levantar até se deitar. Além disso, a forma de andar, manter o corpo, e até a forma de respirar também podem ser afetadas.

Ela perturba o padrão normal de crescimento de uma criança saudável. Quando se desenvolve a escoliose ainda na infância, ela tende a piorar quando a mesma chega na sua fase adulta caso o problema não seja tratado precocemente.

A Escoliose pode ser corrigida ou estabilizada, enquanto se apresenta flexível ou não estruturada (quando a doença se encontra na sua fase inicial). Portanto, quanto mais cedo for diagnosticada, mais eficaz será o tratamento para o caso.

Tipos de Escoliose

A Escoliose pode ser localizada em várias partes diferentes da coluna vertebral, além disso ela pode ser caracterizada por dois tipos diferentes sendo eles: Estrutural e Funcional.

Escoliose Estrutural: é acompanhada pela rotação dos nossos pontos vertebrais. Quando a pessoa sofre desse tipo de patologia, ela não possui uma mobilidade normal pois perde a sua flexibilidade natural para realizar movimentos de inclinação influenciando a sua estrutura.

Na maioria dos casos, esta patologia forma curvas em C ou S na coluna e em alguns casos ela ainda pode causar não só uma, mas várias curvas secundárias na vértebra.

Este tipo de Escoliose estruturada é sempre progressiva durante os anos de desenvolvimento ósseo, principalmente durante o surto de crescimento que ocorre na pré-adolescência.

Escoliose Funcional: ela caracteriza-se por não ser estruturada como no outro tipo, o desvio da coluna não acompanha a rotação dos pontos vertebrais e a coluna é flexível ao realizar os movimentos de flexão e inclinação.

Porém, o desvio de qualquer forma prejudica a vida do ser humano trazendo dores e mau alinhamento causando problemas para o seu funcionamento.

A Escoliose pode ser classificada também de acordo com a etiologia, idiopática e não-idiopática conforme vemos a seguir:

Etiologia: este tipo de Escoliose ocorre devido a fatores de riscos que enfrentamos diariamente como a utilização de uma mochila pesada, longo tempo de postura inadequada, assistir televisão durante um longo período de tempo, dormir pouco, tabagismo, sobrepeso e fatores psicológicos.

Estes tipos de riscos prejudicam a nossa coluna favorecendo o surgimento de problemas como é o caso da Escoliose.

Idiopática: A Escoliose idiopática não está relacionada a nenhuma origem específica, ela pode acontecer sem ter um motivo óbvio. Mas de qualquer forma, ela causa uma deformidade da coluna vertebral e das costelas, provocando dores na coluna.

Porém no caso de crianças e adolescentes, a Escoliose idiopática muitas vezes não tem nenhum sintoma visível e não é possível perceber o problema até que o desvio da coluna tenha progredido significativamente.

Escoliose não-idiopática: este tipo de Escoliose é dividido em três partes sendo elas a adaptação, malformativa ou neurológica.

A Escoliose de adaptação, como o próprio nome já diz, surge como um tipo automático de adaptação para uma situação da nossa vida. Como por exemplo a diferença do comprimento de membros inferiores (quando uma perna é mais longa do que a outra).

Com isso a coluna se curva para um lado, para que os dois pés possam tocar o chão ao caminhar.

A Escoliose malformativa ocorre quando o bebê se encontra ainda em formação dentro da barriga de sua mãe, sendo assim, ela já nasce com esse desvio de coluna.

Porém, ao nascer, o tratamento precoce já alivia possíveis dores e complicações durante o crescimento da criança.

Já a Escoliose neurológica se desenvolve através de problemas neurológicos e musculares como é o caso da paralisia cerebral.



O Tratamento com Pilates

Um tratamento eficiente para a Escoliose inclui exercícios que fortaleçam os músculos fracos da região.

A prática tem sido uma das mais indicadas pelos médicos no tratamento de diversas patologias osteomusculares, incluindo a escoliose, pois seus exercícios estão concentrados na casa de força formada pelos músculos transversos do abdômen, multífidos, diafragma, oblíquos e músculos do assoalho pélvico. A ativação desta casa de força traz harmonia entre as curvaturas espinhais, refletindo na eficiência do equilíbrio corporal, na postura e no trabalho muscular. Contribuindo para uma organização melhor da coluna vertebral e extremidades.

O Pilates fornece estabilidade ao core (conjunto de músculos responsável pelo nosso equilíbrio e pela adequação postural do tronco em qualquer movimento), diminuindo a rotação muscular e fortalecendo os músculos do tronco.

Ao praticar Pilates para escoliose, o indivíduo também garante outros diversos benefícios como:

  • Fortificação do corpo;
  • Melhora do condicionamento físico;
  • Melhora da respiração;
  • Reabilitação do corpo;
  • Melhora do sono;
  • Melhora do equilíbrio;
  • Promove o relaxamento;
  • Melhora da resistência;
  • Correção da postura;
  • Aumenta o bem-estar.
Por isso pode-se dizer que o Método é um ótimo aliado para a reabilitação da Escoliose.

Curso sobre Pilates na Escoliose

Os benefícios da prática do Pilates ao paciente com escoliose são variados, mas o conhecimento prévio de algumas características da patologia é indispensável. Nesse curso sobre Pilates na Escoliose, você vai aprender o que é, como avaliar e como tratar um paciente com escoliose através do método Pilates. Clique aqui e saiba mais!

0 comentários:

Faça Fisioterapia