5 perguntas e respostas sobre a Artrite Reumatóide Juvenil









A artrite reumatóide juvenil ou artrite crônica juvenil é uma doença auto-imune, produzida pelo sistema imunológico da criança. As células de defesa, que normalmente são formadas para defender o organismo das infecções ou das agressões externas, passam a agredi-lo. A criança apresenta artrite em uma ou mais articulações. É uma doença inflamatória crônica que não é fatal mas caso não seja tratada precocemente, pode acarretar prejuízos permanentes que podem variar desde uma discreta dificuldade para se abaixar até a impossibilidade de fazer a sua higiene pessoal e tornar-se totalmente dependente da família.

Como os órgãos são afetados?

A doença pode afetar as articulações, pele, fígado, baço, olhos, pericárdio e pleura.

As articulações podem apresentar inchaço, calor, vermelhidão, dor e a criança ter dificuldade para fazer os movimentos. Essas alterações ocorrem em apenas uma ou em várias articulações. Inicialmente, a artrite pode atingir poucas articulações e na sua evolução, outras podem ser comprometidas.

Em algumas crianças, a doença inicia com febre, erupção na pele, aumento dos gânglios, aumento do fígado e do baço, inflamação do pericárdio que envolve o coração e da pleura que envolve o pulmão; a artrite aparece somente após as primeiras semanas. Nestes casos, é comum as crianças apresentarem dificuldade para levantar da cama ou iniciar a andar após ficarem sentadas por muito tempo, como nas salas de aula.

[sobe]

Quais são as causas da doença?

As causas da artrite reumatóide juvenil são desconhecidas. Sabe-se apenas que infecções, traumas físicos e estresse emocional podem desencadeá-la. Por outro lado, existe a predisposição familiar. Não é qualquer criança que irá apresentar a artrite reumatóide juvenil, mas apenas aquelas que tem a tendência para apresentá-la, ou o que chamamos de susceptibilidade genética.

[sobe]

Quais são os sintomas da doença?

Principalmente o inchaço articular associado ou não a dor, calor local, dificuldade de movimentação e, raramente, vermelhidão. Isso poderá ocorrer em uma ou em várias articulações, juntas ou sucessivamente.

A doença pode se apresentar de três maneiras diferentes: algumas crianças têm comprometimento de uma a quatro articulações (são chamadas de pauciarticular), outras apresentam comprometimento de 5 ou mais articulações (são chamadas de poliarticular) e uma pequena parcela apresenta as manifestações sistêmicas como febre, mancha na pele, aumento dos gânglios, do fígado e do baço e a artrite aparecer somente semanas ou meses após o começo desse quadro (são chamadas de sistêmicas).

A febre que algumas destas crianças apresentam é bastante característica. Costuma ser alta, em torno de 39 a 40° C, geralmente aparece só uma vez ao dia, no final da tarde, e costuma desaparecer com o uso de antitérmicos, para retornar no dia seguinte. Durante o pico febril, a criança fica bastante caída, porém com a diminuição da temperatura ela volta a ser ativa como antes. Outro dado que deve chamar a atenção para esta doença é que a erupção cutânea aparece ou fica mais intensa durante o pico de febre.

Alguns pacientes, especialmente meninas, que apresentam o comprometimento de poucas articulações (pauciarticular) podem ter comprometimento ocular (inflamação) chamado de iridociclite crônica, que, geralmente, não dá sintomas e deverá ser detectada pelo oftalmologista através de um exame denominado de biomicroscopia. Se não for diagnosticada e tratada precocemente, esta inflamação poderá evoluir com complicações, inclusive prejuízo ou perda da visão.

[sobe]

Quais são as conseqüências da doença?

A artrite reumatóide juvenil não é uma doença fatal, a mortalidade é baixa. Entretanto, pode acarretar prejuízos permanentes muito importantes para a criança. Se o paciente não for tratado adequadamente e precocemente, pode evoluir com limitações e incapacitações para toda a vida, cuja extensão dependerá do tipo e intensidade do comprometimento articular. As limitações podem variar desde uma discreta dificuldade para se abaixar até a impossibilidade de fazer a sua higiene pessoal e tornar-se totalmente dependente da família.
Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Nenhum comentário

    Tecnologia do Blogger.