Osteoporose é doença que também pode atingir homens









Apesar de ter uma incidência bem maior nas mulheres (cerca de três vezes maior que nos homens), a osteoporose também atinge o sexo forte. Os índices da doença mostram que tem aumentado o número de homens com a osteoporose. Isso se dá tanto por conta do histórico familiar e pela andropausa, como por hábitos inadequados, como o sedentarismo, pouca ingestão de alimentos ricos em cálcio, falta da prática de exercícios físicos e outras doenças associadas.

A Pesquisa Firme e Forte Osteoporose 2012 mostrou que apenas 37% da população geral têm a percepção de que a osteoporose é uma doença que afeta os homens e as mulheres da mesma forma, sendo que a maioria dos brasileiros – mais de 50% – acredita que a doença atinge apenas mulheres com mais de 60 anos de idade.

A grande diferença para os homens é que, ao contrário do estrogênio, que diminui bruscamente, a testosterona, hormônio que também protege contra o desgaste ósseo, é reduzida gradativamente com a idade. Entretanto, de acordo com o reumatologista Nilton Salles “a falta de hormônio sexual para o homem – o hipogonadismo – além de afetar a qualidade do osso, prejudica sua vida sexual, interferindo na libido, na função sexual, na força muscular entre outros”.

Os homens desenvolvem a doença, geralmente, após os 65 anos de idade. “Neles, a osteoporose tem origem multifatorial como a idade, alcoolismo, tratamentos prolongados com corticosteroides, falta de testosterona, dieta pobre em cálcio, deficiência de vitamina D, entre outros fatores”, comenta o professor de reumatologia da Universidade Federal do Paraná, Sebastião Cezar Radominski. Mas, além dessas, há também motivos que desencadeiam na doença como inflamações crônicas, distúrbios renais e artrite reumatoide, que exige a ingestão de medicamentos como a cortisona

Em relação à insuficiência renal crônica ocorre um prejuízo à mineralização óssea. “Em ambos os casos a qualidade do osso é ruim”. O reumatologista Leandro Parmigiani, completa dizendo que “as doenças crônicas e distúrbios renais implicam em uso de medicações constantemente e há drogas que estão associadas à perda de massa óssea”.

O especialista conta ainda que, quando comparadas com as mulheres, as fraturas que ocorrem nos homens por conta da doença têm uma maior taxa de mortalidade. Para prevenir a osteoporose, o ideal é consultar um especialista, realizar o exame de densitometria óssea, não fumar e nem ingerir bebidas alcoólicas em excesso, além de apostar nos alimentos ricos em cálcio e praticar exercícios físicos com frequência.
Gostou o texto? Nos siga nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui

Tenho indicações para você apofundar seus estudos em Cardiologia. Espia só:
  • Sistema Cardiovascular: anatomia e fisiologia
  • Curso de Eletrocardiograma Básico
  • Drive Virtual de Fisioterapia na Cardiologia
  • Curso Online de Fisioterapia Aplicada à Cardiologia


  • Poste um Comentário

    Nenhum comentário

    Tecnologia do Blogger.