A cada dia mais pessoas procuram os consultórios de especialistas, para tentarem esclarecer queixas de dores em joelhos, que se iniciaram ...

A Osteoartrose Femuropatelar

A cada dia mais pessoas procuram os consultórios de especialistas, para tentarem esclarecer queixas de dores em joelhos, que se iniciaram sem uma causa aparente. Referem serem as mesmas contínuas, piorando com movimentos de subir e descer escadas ou, quando se agacham para pegar algum objeto. Na quase totalidade das vezes, são indivíduos jovens ou de meia idade e referem ser freqüentadores de academias. Possuem eles algumas vezes, um ponto em comum, que é o fato de estarem aumentando a carga de exercícios para perna em exercícios tipo semi agachamento (burpee), agachamento completo, leg press ou mesmo hack squat (prensa inclinada).

Para podermos entender estas queixas devemos ter em mente, que quando do movimento de flexão máxima dos joelhos (90 graus), a manutenção deste eixo de movimentação e, da estabilidade desta articulação, é fruto não somente da integridade ligamentar, como também, da musculatura da coxa. Quando do movimento de extensão após a flexão (elevar-se após agachamento), o eixo de movimentação e a estabilidade desta articulação dependem, entre outras coisas, do eixo de escorregamento da patela.

A patela, também chamada de rótula, é um dos ossos que compõem a articulação do joelho, participando ativamente, dos movimentos de flexão e, principalmente, extensão desta articulação. Ela se insere na parte anterior do joelho e, por sua superfície passam os tendões do músculo quadríceps (principal músculo extensor) antes de se inserir na tuberosidade anterior da tíbia.

É a patela que evita o atrito entre a musculatura do joelho quando do movimento de extensão da perna após a flexão, atuando também, no aumento de eficácia desta musculatura (quadríceps). Possue a patela em sua superfície interna uma cartilagem denominada de "Cartilagem patelo-femural". Quando o joelho encontra-se em sua flexão máxima, no movimento de retorno à extensão (elevação após agachamento), forças vetoriais agem internamente no joelho, de forma que uma alavanca é exercida em sua parte interna facilitando, este movimento.

Para que este movimento ocorra de forma harmônica, deverá a patela escorregar através de um sulco situado entre os dois côndilos do fêmur, denominado sulcu patelar ou incisura intercondiliana (troclear).

Em determinadas pessoas ou atletas, devido a uma má formação congênita ou hipertrofia de determinado grupo muscular da coxa, a patela pode escorregar lateralmente (internamente ou externamente) durante este movimento, fazendo com que ocorra um atrito entre a cartilagem patelar e cartilagem interna da tróclea do fêmur. A repetição de tal fato, poderá acarretar uma lesão que, se persistente, evoluirá para um processo degradativo articular (OSTEARTROSE FEMURO-PATELAR). Estes são os casos sub-luxação ou luxação patelar.

Tal alteração pode ocorrer em qualquer grau de flexão do joelho, podendo o diagnóstico da mesma, ser confirmado radiológicamente por um RX simples axial de patela á 30 graus, 45 graus e 60 graus de flexão.

Em academias de ginástica, exercícios de agachamento completo, semia agachamento (burpee), leg extension, leg press, prensa inclinada ou outros que impliquem em flexo-extensão máxima dos joelhos, podem desencadear ou agravar a sintomatologia decorrente desta alteração (luxação femuro-patelar).

Uma vez instalada esta patologia, o uso de exercícios corretivos, antiinflamatórios e SUBSTÂNCIAS CONDROPROTETORAS poderá auxiliar tanto na prevenção, quanto no tratamento.

Fonte

0 comentários:

A Fibromialgia caracteriza-se por ser uma síndrome dolorosa crônica, apresentando dores em diferentes pontos, e distúrbios do sono entre ...

Fibromialgia x Acupuntura

A Fibromialgia caracteriza-se por ser uma síndrome dolorosa crônica, apresentando dores em diferentes pontos, e distúrbios do sono entre vários outros sintomas.
Ocorre em cerca de nove mulheres para cada homem em idades variadas. Caracterizada, principalmente, por uma dor difusa, referida no sistema músculo-esquelético, acompanhada por fadiga, distúrbios do sono e pontos dolorosos pré-determinados.
É considerada uma síndrome porque é identificada mais pelo número de sintomas do que por uma má função específica. Não necessariamente apresentará todos os sintomas, mas outros podem estar presentes, como parestesia, disminorréia, cefaléia, artralgia, rigidez matinal, ansiedade e depressão.

Leia também

Tabagismo e doenças pulmonares

A variedade de opções de tratamentos tem aumentado o controle da doença, e uma via alternativa em estudo é a Acupuntura. Sua eficácia no tratamento da dor de diversas etiologias estão bem demonstrados; em especial para a síndrome de dor, em que o conceito de pontos-gatilho apresenta correlações importantes com o de pontos de Acupuntura, e para a qual é imprescindível uma ação terapêutica direta sobre os músculos cronicamente lesados (Hirakui, 2004).
Incidência
Estima-se que a fibromialgia seja a terceira maior causa que levaria um indivíduo a procurar um reumatologista (Rosa Filho, 2004), sendo vista como uma das queixas reumáticas mais comuns, afetando 2% da população onde o predomínio é pelo sexo feminino cuja idade varia de 25 a 50 anos. É pouco relatada nos países em desenvolvimento ( Hirakui, 2004).
O que Causa a Fibromialgia
Alguns fatores isolados como traumas emocionais ou físicos, estresses como doenças, mudanças hormonais, etc., podem gerar dores ou fadiga generalizadas que não melhoram com o descanso e que caracterizam a Fibromialgia.
Outro fator importante é a falta de serotonina, que é produzida no nível delta do sono, constantemente interrompido na fibromialgia.
lguns pacientes são capazes de identificar fatores que agrava as dores, como quadros virais, traumas físicos (acidentes automobilístico), traumas psíquicos (problemas com filhos, divórcios e outros), mudanças climáticas (especialmente o frio e a umidade), sedentarismo e a ansiedade são os mais relatados. Porém, o único achado relevante ao exame físico é a presença dos pontos dolorosos ou "tender points".
Sintomas Clínicos
A alteração mais evidente é a dor generalizada, mas é possível identificar rigidez generalizada no corpo, pela manhã e edema nas mãos e nos pés onde também são notadas paresias, principalmente nas mãos. Cansaço extremo que se mantém durante quase todo o dia. Acredita-se que devido a este sintoma, os pacientes com Fibromialgia não tenham tolerância ao esforço físico, mas é importante ressaltar que mesmo que pareça um paradoxo, esses pacientes devem, de forma orientada, estar atentos à prática de exercícios físicos, para estimular serotonina.
Cefaléia tensional, sensibilidade ao frio, vertigem, dificuldade de concentração, secura de olhos e boca, taquicardia, tensão pré-menstrual, irritabilidade e distúrbio de humor são, também, observados (Hirakui, 2004).
Diagnóstico
O critério para o diagnóstico é puramente clínico. Embora pareça que o paciente esteja fisicamente normal, um exame mais detalhado e minucioso demonstra áreas bastante sensíveis ao toque. São pontos hipersensíveis sobre músculos e ligamentos.
Para que seja confirmada qualquer suspeita sobre fibromialgia, deve-se obedecer alguns critérios estabelecidos, como presença de dor disseminada por 3 meses ou mais.
A dor é disseminada quando apresentar:
  • -Dor no hemicorpo esquerdo e direito;
  • -Dor acima e abaixo do punho;
  • -Coluna cervical;
  • -Parede anterior do tórax;
  • -Coluna torácica;
  • -Coluna lombar.
Em conjunto com a dor disseminada, é preciso que o paciente sinta dor pelo menos em 11 dos 18 tender points, que são pontos palpáveis, hipersensíveis, espalhados por todo corpo:
  • -Região occipital: bilateralmente, nas inserções dos músculos;
  • -Coluna cervical inferior, nos espaços intertransversais, bilateralmente;
  • -Trapézio, bilateralmente, no ponto médio da borda superior;
  • -Supra-espinhoso, bilateralmente, nas origens e acima da espinha escapular e da borda medial da escápula;
  • -Segunda costela, bilateralmente, no 2º espaço intercostal e articulação condrocostal;
  • -Epicôndilo lateral: bilateralmente, 2 cm abaixo dos epicôndilos;
  • -Região glútea, bilateralmente, nos quadrantes superolaterais e abaixo do piriforme;
  • -Trocânter maior, bilateralmente, posterior à proeminência trocantérica;
  • -Joelho, bilateralmente nas interlinhas mediais e no local de inserção dos músculos da pata de ganso. (Hirakui, 2004).
Intervenção da Acupuntura na Fibromialgia
A base de tratamento da Acupuntura é o reequilíbrio energético através de canais que se encontram distribuídos no organismo humano por onde passa a energia vital. O tratamento é feito através de inserção de agulhas introduzidas nos pontos os quais estão localizados nos canais energéticos também chamados meridianos. Segundo a teoria da Acupuntura, todas as estruturas do organismo se encontram em equilíbrio pela atuação das energias Yin e Yang, um desequilibro, gera doença. De acordo com estudos e pesquisas para comprovar a eficácia, a arte da Acupuntura visa através da sua técnica, estimular os pontos reflexos que tenham a propriedade de restabelecer o equilíbrio alcançando assim, resultados terapêuticos e diminuindo o quadro álgico para uma melhor qualidade de vida e retorno às atividades diárias.
Será abordado o tratamento denominado Teoria dos Cinco Elementos. A aplicação da teoria dos cinco elementos está na classificação em diferentes categorias como emoções humanas e fenômenos naturais externos do corpo como as condições climáticas. No caso da fibromialgia destaca-se uma desarmonização no excesso de fígado e deficiência de rins. Através desse tratamento, observamos também o ciclo de dominação que o fígado, coração, rim, pulmão, necessitam de tratamento simultaneamente. Um dano no fígado pode influenciar também o coração e acontece que a dominação da mãe atinge o filho pode influenciar o pulmão, pode influenciar os rins, o que resulta em a dominação do filho atinge a mãe. Reforçar a Terra para produzir Metal, Umedecer a Água para manter a Madeira irrigada, sustentar a Terra para conter a Madeira e fortificar a Água para conter o Fogo.
Água em deficiência, tonificar a mãe Rim que é o pulmão + rim + baço. Fígado em excesso, sedar o filho que é coração + Fígado. Fígado em excesso, o rim não consegue guardar energia essencial.
Os pontos empregados são detectados à palpação e baseando-se nos critérios acima citados dos tender points e áreas de dor referida, já que o diagnóstico da Fibromialgia é puramente clínico. As agulhas de Acupuntura devem ser introduzidas nestes pontos com profundidade que varia de acordo com a anatomia local. (Hirakui, 2004).
É possível evitar a Fibromialgia?
Não existem estudos científicos comprovando especificamente como evitar fibromialgia, mas sim estudos mostrando como atenuar os sintomas dolorosos da fibromialgia e evitar que o quadro piore.
Alguns pesquisadores, através de trabalhos científicos, nos mostram que as pacientes com fibromialgia podem melhorar muito o quadro com alguns procedimentos simples, tais como:
  1. Atividade física e alongamentos rotineiramente,
  2. Meditação
  3. Relaxamento a qualquer momento do dia. Principalmente treinar para estar preparada nos momentos da dor mais intensa.
Obviamente que a pessoa que adquirir estes costumes na sua vida diária, estará vivenciando mais calma e paz interior, que são os ingredientes básicos anti fibromialgia. 

Texto enviado por Carlos Eduardo Oliveira - Graduado em Fisioterapia pela Fundação Educacional de Fernandópolis (SP) - Especializado em Medicina Tradicional Chinesa (Acupuntura) pelo Colégio Brasileiro de Acupuntura (CBA/SP).

0 comentários:

Fibromialgia caracteriza-se por dor muscular e tendinosa difusa crônica em pontos dolorosos de localização anatômica específica. Quais os pr...

Resumo sobre Fibromialgia


Fibromialgia caracteriza-se por dor muscular e tendinosa difusa crônica em pontos dolorosos de localização anatômica específica.

Quais os principais sintomas?

Os sintomas são dor generalizada ("dói tudo") e um ou mais dos seguintes:
  • fadiga
  • sono superficial e não reparador (desperta mais cansado do que quando deitou à noite)
  • depressão psíquica
  • ansiedade
  • dor de cabeça (pode ser enxaqueca)
  • dormência de mãos e pés
  • dor abdominal com períodos de prisão de ventre intercalados com diarréia
Em nenhum momento haverá inflamação ou deformidade nas articulações e os movimentos não estão limitados.

Caracteristicamente, os portadores de fibromialgia têm os sintomas por anos sem modificações importantes. Os problemas são dor e fadiga.

Como se desenvolve?

A causa e os mecanismos que provocam fibromialgia não estão perfeitamente esclarecidos. Não há nenhuma evidência concreta de que possa ser transmitida nem se verifica maior prevalência em familiares.

Diminuição de serotonina e outros neurotransmissores provocam maior sensibilidade aos estímulos dolorosos e podem estar implicados na diminuição do fluxo de sangue que ocorre nos músculos e tecidos superficiais encontrados na fibromialgia.

Qual a melhor forma de tratamento?

No tratamento, devem ser usados analgésicos; não parece haver vantagem no uso de anti-inflamatórios ou cortisona em caráter permanente.

São drogas obrigatórias os antidepressivos tricíclicos (principalmente amitriptilina e ciclobenzaprina)que agem sobre a serotonina no cérebro e têm efeito analgésico no sistema nervoso central.

Condicionamento muscular orientado por conhecedores da doença e seu entendimento pelos pacientes são indispensáveis. Pacientes com manifestações psiquiátricas mais intensas devem ter atendimento especializado.

0 comentários:

O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo é muitas vezes feita pelo médico baseado em uma descrição precisa dos sintomas. Durante o exame...

Diagnóstico da Sindrome do Túnel do Carpo


O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo é muitas vezes feita pelo médico baseado em uma descrição precisa dos sintomas. Durante o exame físico, o teste pode identificar a fraqueza dos músculos supridos pelo nervo mediano na mão, incluindo alguns músculos do polegar afetado pela síndrome. Pode haver diminuição da sensibilidade na mão para as picadas de agulha ou leve toque. Dobrar o punho para 90 graus durante um minuto, pode causar sintomas que aparecem na mão (teste de Phalen) ou batendo no pulso, com um martelo reflexo pode causar um choque elétrico, como sensação (Tinel). Tardias da doença, pode haver adelgaçamento da musculatura ou atrofia muscular na base do polegar.

O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo pode ser confirmado e gravidade determinada por um dois-parte de teste elétrico:

. O teste de condução nervosa é a evidência mais forte para a síndrome do túnel do carpo. O nervo é estimulado com uma leve corrente elétrica gerada por um pequeno eletrodo colocado na pele, proximal ao túnel (lado do cotovelo do túnel). O impulso viaja no nervo através do túnel para o lado onde o impulso é medido. Se o nervo mediano é afetado, o impulso vai demorar mais tempo do que seria esperado para chegar ao outro lado. Quanto maior o atraso no impulso nervoso, pior o dano do nervo será.

. A segunda parte do teste, eletromiografia, mede o grau de funcionamento anormal dos músculos. Uma pequena agulha é colocada em vários músculos supridos pelo nervo mediano, e os impulsos elétricos do músculo é medido em repouso e após contração (endurecimento com o uso) do músculo. Se o nervo foi severamente comprimida, esses músculos podem ser afetados e não vai funcionar normalmente no teste elétrico.

Fonte

Nos últimos anos, a ultra-sonografia diagnóstica e varreduras de MRI foram usados para ajudar a diagnosticar e CTS excluir outras causas de mão e punho sintomas. Estas tecnologias podem identificar edema do nervo mediano e anormalidades da parede do túnel, o seu conteúdo e área circundante. Isso pode incluir a fonte da compressão do nervo mediano, incluindo inflamação das estruturas do túnel, tais como inflamação dos tendões, que pode ocorrer na artrite reumatóide. Outras anomalias do tendão, incluindo um gânglio, ou excesso de gordura no túnel, também pode ser visto em MRI.

0 comentários:

Na crise aguda, o exercício está totalmente contraindicado. Deve-se f...

Trate a sua lombalgia


Na crise aguda, o exercício está totalmente contraindicado. Deve-se fazer repouso absoluto, deitado na cama. Uma alternativa é deitar de lado em posição fetal (com as pernas encolhidas). Não estão indicados na fase aguda: tração, manipulação, RPG, cinesioterapia, alongamento e massagem.

Os analgésicos e os anti-inflamatórios podem ser usados. Sedativos são úteis para ajudar a manter o paciente em repouso no leito. Existem outras substâncias muito usadas, porém sem nenhuma eficácia científica comprovada, tais como: vitamina B12, cortisona, cálcio, gelatina de peixe, casca de ovo, casca de ostra, geleia de tubarão e unha do diabo. Nenhuma delas tem efeito comprovado. Nota-se que, quanto mais bem feito o repouso, menos medicamentos são necessários. Obviamente, deve-se tratar a causa da lombalgia.

Nem todos os casos de hérnia de disco têm de ser operados. Quase todos regridem com repouso no leito, sem necessidade de cirurgia. Assim, a hérnia murcha e deixa de comprimir estruturas importantes, como os nervos. O tratamento cirúrgico está indicado apenas nos 10% dos casos em que a crise não passa entre três a seis semanas, em pacientes que têm crises repetidas em um curto espaço de tempo ou quando existem alterações esfincterianas (perda de controle para urinar e defecar).

Enquanto, no adulto, a maioria das lombalgias tem causas e tratamentos simples, a dor lombar no adolescente é incomum e com causas que devem ser investigadas cuidadosamente pelo médico ortopedista.

0 comentários:

Além de causar sensação de atrito, dor e limitação de movimentos, a artrose é caracterizada pela degeneração progressiva da cartilagem e p...

Degeneração progressiva causada pela artrose pode atingir a coluna

Além de causar sensação de atrito, dor e limitação de movimentos, a artrose é caracterizada pela degeneração progressiva da cartilagem e pode atingir todas as articulações, com destaque para quadril, joelhos, pés e coluna - articulações de carga, devido ao esforço a que são submetidas. Segundo especialistas, as pessoas que sofrem da condição devem ficar atentas às dores nas costas, pois a artrose na coluna pode ser incapacitante se não for tratada adequadamente.

"Quando a coluna é atingida, o importante é iniciar um bom tratamento para que o caso não se torne mais grave e incapacitante, levando o paciente a tratamentos mais agressivos", afirma o fisioterapeuta Helder Montenegro, do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral.

As mulheres, especialmente após a menopausa, e homens na meia idade são os mais suscetíveis à condição - e devem estar mais atentos -, embora a artrose possa surgir em qualquer fase da vida. "Além do fator genético, a doença pode surgir devido a um trauma ou processo inflamatório crônico", explica o especialista.

Como 85% da população vai viver ao menos um episódio de dor nas costas ao longo da vida, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde, o fisioterapeuta destaca que as pessoas precisam rever alguns hábitos e buscar fortalecer os músculos posturais, responsáveis por dar sustentação à coluna, visando a prevenção de processos inflamatórios característicos da artrose.

O primeiro passo para colocar a coluna em ordem, segundo o especialista, é fazer uma boa avaliação, identificando as causas da dor. São feitos testes ortopédicos e fisioterapêuticos específicos, de mobilidade, de força, de alongamento muscular e do sistema nervoso para saber qual é a situação clínica do paciente. Com o quadro definido, o tratamento é iniciado, incluindo o uso a fisioterapia, exercícios de musculação e caminhada.

Fonte: Flöter&Schauff Assessoria de Comunicação. Press release. 23 de março de 2010.

0 comentários:

A tendinite é a inflamação de um tendão; a tenosinovite é a tendinite acompanhada pela inflamação da bainha protectora que cobre o tendão. O...

Tendinite e tenosinovite



A tendinite é a inflamação de um tendão; a tenosinovite é a tendinite acompanhada pela inflamação da bainha protectora que cobre o tendão.

Os tendões, alguns dos quais estão cobertos por uma bainha protectora, são cordas fibrosas de tecido resistente que ligam os músculos aos ossos. As bainhas dos tendões cobrem alguns tendões.

A maior parte das tendinites surgem em pessoas de meia-idade ou idade avançada, dado que com a idade os tendões são mais propensos às lesões. Contudo, também aparecem em jovens que praticam exercícios intensos e em pessoas que realizam tarefas repetitivas.

Certos tendões, especialmente os da mão, são particularmente propensos a inflamação. A inflamação do tendão que estende o polegar da mão para fora denomina-se doença de De Quervain. A inflamação pode fazer com que os tendões que fazem fechar os outros dedos da mão fiquem presos, produzindo-se uma sensação de estalido (dedo em gatilho). A tendinite do bicípete, na parte superior do braço, causa dor quando se dobra o cotovelo ou se roda o antebraço. É frequente que se inflamem o tendão de Aquiles no calcanhar e o tendão que percorre a parte superior do pé.

As doenças articulares, como é o caso da artrite reumatóide, a esclerodermia, a gota e a síndroma de Reiter, também podem afectar as bainhas dos tendões. Nos adultos jovens que contraem gonorreia, especialmente em mulheres, a bactéria (gonococo) pode causar tenosinovite, afectando habitualmente os tendões dos ombros, pulsos, dedos, ancas, tornozelos e pés.

Sintomas

Os tendões inflamados costumem causar dor quando se movem ou se tocam (mover as articulações próximas do tendão, ainda que seja ligeiramente, pode causar uma dor intensa). As bainhas dos tendões podem inchar visivelmente pela acumulação de líquido e pela inflamação, ou podem secar e roçar contra os tendões, causando uma sensação áspera que se pode sentir, ou um som que se escuta durante a auscultação, quando a articulação se move.

Tratamento

Várias formas de tratamento podem aliviar os sintomas de uma tendinite. Costumam ser úteis o repouso, a imobilização com entalamento ou gesso e a aplicação de calor ou frio (conforme seja conveniente). A terapia com anti-inflamatórios não esteróides como a aspirina ou o ibuprofeno durante 7 a 10 dias diminui a dor e a inflamação.

Por vezes, os corticosteróides e os anestésicos locais injectam-se na bainha do tendão. Este tratamento é particularmente útil para tratar um dedo em gatilho. Raramente, a injecção causa um acesso que dura menos de 24 horas e pode tratar-se com compressas frias e analgésicos.

O tratamento deve ser repetido todas as semanas ou de 3 em 3 semanas durante 1 ou 2 meses, antes que a inflamação diminua por completo. Uma tendinite crónica e persistente, como acontece na artrite reumatóide, pode ser tratada cirurgicamente para extrair as zonas inflamadas, sendo necessária a fisioterapia depois da intervenção. Com frequência, a cirurgia está indicada para tratar um dedo em gatilho crónico ou para extrair as acumulações de cálcio das zonas de uma tendinite de longa duração, como a zona que circunda a articulação do ombro.

0 comentários:

Faça Fisioterapia